Coleção - 2009

RE-VISTA-SE NO PAíS

DAS MARALIHAS

O universo de Alice, a do País das Maravilhas, com seus desejos, sonhos e fantasias, foi projetado em “Re-vista-se no País das Maravilhas”, divertidacoleção da estilista Vanuza Bárbara, inspirada no filme de Tim Burton.

 

Assim como no mundo de Alice tudo é possível, no universo da moda de Bárbara, tudo também é mágico. Em “Revista-se...”, a estilista mudou os destinos de sombrinhas, ataduras e loninhas de pneu que iriam para o lixo, convertendo-os em roupas.

 

Com tecidos de refugo cedidos pela Provest Uniformes, Bárbara criou peçasque remetem aos personagens do clássico estampado em vestidos, camisetas.

 

No mundo encantado de Bárbara, o sonho de um mundo melhor se entrelaçou com a realidade. Desde roupas, até acessórios, tudo foi produzido com materiais reciclados.

 

Em “Re-vista-se...”, a era Vitoriana do século 17, encontrou eco. Laços, babados e saias de rodas fartas, com bastante volume, elementos que marcaram esse estilo romântico, ganharam destaque na coleção de Bárbara.

CARNE SECA

Coleção - 2013

Projeto de valorização da identidade nacional, Carne Seca reverencia o arquiteto, artista plástico e cenógrafo, Flávio Império, personalidade importante na construção da história cultural do Brasil. Referência para Vanuza Bárbara, Flávio adotou em seu trabalho o reaproveitamento de materiais e objetos descartados pela sociedade. Mais de 30 looks, além de acessórios, instalações e 12 telas integraram a coleção Carne Seca lançada em 2011.

 

A partir do seu lançamento no Centro Cultural Usiminas, em Ipatinga, Carne Seca ganhou exposição na 3ª edição da Paraty Eco Fashion, no Rio de Janeiro, de onde a estilista saiu com uma bolsa de estudos no Instituto Rio Moda. Vanuza Bárbara também foi contemplada com um software de modelagem da empresa Audaces. A estilista recebeu ainda um convite para apresentar sua coleção na Virada Cultural, em Sete Lagoas. O Projeto Carne Seca também conquistou espaço na 13ª edição do Minas Trend Preview(Outono Inverno 2014) considerado o maior salão de negócios de moda do país e visitado por pessoas de todo o mundo.

AS MELINDROSAS

O chargista e ilustrador carioca, José Carlos de Brito e Cunha (1884-1950), inspirou As Melindrosas, projeto de Vanuza Bárbara que, assim como as demais coleções assinadas por ela, é impulsionado por sua vontade de dar cara própria às suas criações, diferenciando-as das tendências impostas pelo mercado. O trabalho foi resultado de amplas pesquisas sobre J. Carlos, criador da melindrosa, símbolo da mulher brasileira dos anos 20, elegante e urbana, que nascia com a modernidade do século XX. Em sintonia com o estilo de vida que rompia com a conduta feminina tradicional, incluindo a abolição de espartilho, das anáguas, Vanuza Bárbara teceu As Melindrosas. São peçasamplas, leves e que desafiam as limitações de quem se importa muito com a moda que desfila pelos circuitos comerciais. A coleção reafirma a vocação da estilista para atrelar sua moda a outros fazeres culturais, quando chama a atenção do público para o trabalho de fotógrafos, designers, maquiadores, dentre outros profissionais alinhados com a sua proposta conceitual.

Coleção - 2014

A MODA DE VANUZA BÁRBARA É CONCEITUAL, UMA FORMA DE COMUNICAÇÃO CRIATIVA E INSTIGANTE, QUE MANIFESTA IDEIAS, PROPÕE REFLEXÕES SOBRE AS PEÇAS E SUAS INSPIRAÇÕES.​

As roupas da estilista prezam a identidade plural da cultura brasileira e, particularmente, os valores de Minas. As coleções são exibidas em cenários vultosos, iluminações estratégicas, sonoplastia de efeitos, maquiagens e cabelos que reforçam o conceito de suas criações. Com o propósito de expandir seu trabalho, Vanuza Bárbara realiza seus projetos por meio de leis de incentivo à cultura.

 

Carne Seca, As Melindrosas e Trans-Bordando em Chica são alguns de seus trabalhos, que lançam luz sobre questões culturais, sociais e ambientais.

RETALHOS

Coleção - 2010

Com Retalhos, sua primeira coleção, Vanuza Bárbara se lançou no mundo da moda com o propósito de ser diferente, inovar prezando a sustentabilidade. Nesse projeto, a estilista deu início a criações desenvolvidas a partir do reaproveitamento de refugos da indústria têxtil, que seriam descartados na natureza. Toda a coleção foi produzida com carne seca, um tecido de 100% algodão utilizado pelas fábricas de estamparia para “testar a estampa”. O sucesso da recepção do trabalho de Vanuza Bárbara, aliado à sua vontade de se firmar na cena fashion por outros caminhos, garantiu sua permanência em cena. Posteriormente, outras coleções seriam lançadas, cada vez mais, dando mais visibilidade ao seu trabalho hoje reconhecido por onde passa.

TRANS-BORDANDO EM CHICA

Coleção - 2015

Chica da Silva é a personagem que inspira Trans-Bordando em Chica, projeto de Vanuza Bárbara inspirada na escrava nascida no Serro, em 1732, e posteriormente alforriada. Características marcantes da personalidade de Chica, que viveu em Diamantina (MG), podem ser identificadas na coleção da estilista.

 

Trans-Bordando em Chica destaca o fato de Chica da Silva alcançar prestígio e usufruir de regalias próprias da elite, onde predominavam as senhoras brancas. A conquista, que marcou a história do Brasil, está atrelada à relação duradoura que Chica manteve com João Fernandes, o poderoso contratador de diamantes, que se apaixonou pela escrava garantindo alforria a ela.A coleção também faz referência aos filhos de Chica que ganharam importância na sociedade por herdarem a fortuna do pai, mas, por outro, não se livraram por completo do preconceito racial. A origem negra e escrava da mãe se mantiveram como obstáculos para a inserção social do grupo.

ELEGIA A UMA PEQUENA BORBOLETA

Elegia a uma pequena borboleta, nome de batismo do poema de Cecília Meireles que fala sobre a morte de um inseto, é também o nome da coleção de Vanuza Bárbara produzida no ano de 2010.As roupas são fruto de muita pesquisa sobre a vida da poetiza, e revelam a admiração de Bárbara por Cecília Meireles.O simbolismo presente na poesia de Cecília Meireles ganhou interpretações nas roupas de Bárbara, que escolheu cores alegres para destacar a beleza das borboletas, e tons neutros para interpretar o sentido mórbido de alguns versos.“Elegia...” traça um paralelo entre o processo de formação de uma borboleta e o nascimento das coleções de Bárbara por meio da transformação de materiais descartáveis em roupas.A coleção é marcada pelos bordados artesanais com fios soltos, numa referência à costura que se faz e se desfaz. Com os mesmos ares de outras coleções, no que diz respeito a nascer para pertencer a todas as estações, Elegia a uma pequena borboleta não se submeteu a nenhuma tendência de mercado, porque, como disse Bárbara, suas roupas nascem para serem usadas por toda a vida, para serem pensadas, para animar sentimentos e não apenas vestir.

Coleção - 2010/2011

© 2016 por Herique Assis | Café com Design

V_BARBARA_MELINDROSAS_01_baixa